terça-feira, 6 de maio de 2008

SÁBADO

SÁBADO


S e todos os sábados fossem: “sábado”, eu seria “o próprio delírio”...
A cabaria morrendo em teus braços, de tanta vida em desalinho...
B oca latente, tal como o falo, na antiguidade em fertilidade...
A o movimentares o meu corpo, da minha boca sai: Tu sabe, tu sabe!
D e amor quase enlouqueci, no vai e vem da tua vontade...
O alívio em frenesi se deu em abraços com saudades... Da arte. Que arte!




Lígia Marques
05-05-2008

5 comentários:

Jonathan Cabo - Pensamentos e Poesias disse...

Olá lígia, vi o e-mail, parabéns!!! Seu blog está muito legal... Vou colocar um link no meu para que as pessoas também possam conhecer o seus. Abs. Jonathan

Andie Ferrari(penélopes) disse...

Olá Poeta!Versos perfeitos!
Bjs.
Andressa.

Lígia Marques disse...

Hoje faz exatos quatro anos, que cheguei do jardim de flores da felicidade.. E escrevi da alma tudo que neste dia vivi.. Li

GANDALF disse...

Olá! Parabéns pelo blog garota.
Quando ao sabádo, digamos que:

Todo sábado é dia de babado
Todo babado termina inacabado
Todo dia é dia de amar calado
Todo dia é sábado.

Valeu!
bjssssssssss
gan

Lígia Marques disse...

Olá! Parabéns pelo blog garota.

Rsrsrs obrigado.
Como eu disse, reativei. Já tinha desde 2008. Este acróstico tem muito tempo..rs Você na época dos grupos duetou nele comigo,lembra? Não..rss

Quando ao sabádo, digamos que:

Todo sábado é dia de babado
Todo babado termina inacabado
Todo dia é dia de amar calado
Todo dia é sábado.


Ou seja, você ta amando todo dia, né? e tão te deixando na mão..rss e tudo fica pela metade..rs
seja sábado ou dia de trabalho,
caladim o babado é bom..rs

ah..rs danado
Sábado eu fui estudar..rs

Beijos de Lígia