domingo, 20 de junho de 2010

Discriminação... ((Lígia Marques))


Colocada em um canto,
Talvez no fundo da memória...
“não pode”, “não enche”, “não faça”,
Assim se deu a história.

Um jogo de cartas marcadas,
Vetada em tudo que é justo,
Telefonar já não pode,
As juras de amor? Silêncio astuto.

Dentro de si uma questão nasce,
Será a cor, miscigenação ou raça?
Será a “moradia”, os cabelos emaranhados
O sorriso franco, ou amor sem farsa?

Discriminação no coração é fato.
Esconder o amor em nome do amor é “trato”?
Quem dera a vida em tudo concordasse,
Até mesmo em labor, comer no mesmo prato?

A vida é constantemente construída...
Ter medo, ser pobre, e não dar “satisfação”
Não é ter que viver clausurado,
Em pequenos vôos do coração.

Existem coisas que se praticam juntos,
Outras que se faz separados.
Melhor o cinema, a cama e a “casa”,
Do que sozinho em um buraco.

“Buracos” não são lugares mal feitos,
Mas o renome de um lar conturbado,
Orgulhe-se do amor que tem, creia de vez:
Quem ama é por Deus bem cuidado.

Lígia Marques
30-04-2010

HONESTO...((Lígia Marques))



É SER DONO DE UMA QUALIDADE
É TER VIRTUDE, COISA DE POUCOS
É INDEPENDER DO CONSTRANGIMENTO
É DIZER A VERDADE “SEM TROCO”.

É ASSUMIR A CULPA, QUANDO SUA
É NÃO ENTREGAR O “OUTRO” PARA SEU BENEFÍCIO
É SABER SEPARAR AS “COISAS”
É JURAR TENDO SEU DANO, QUANDO ASSIM FOR PRECISO.

SER HONESTO É SER NATURALMENTE LIVRE
FALAR A VERDADE SEM IMPOSIÇÃO
É NÃO DIFAMAR E NÃO ACEITAR “OPÓBRIOS”
CONTRA ALGUÉM QUE UM DIA LHE DEU A MÃO.

ASSIM COMO UM CÃO, QUE SE ALEGRA “NAS CHEGADAS”
E É VISTO POR ALGUNS: O HONESTO PUXA- SACO
O HONESTO NÃO SE IMPORTA NÃO OBTEM LUCROS
É TRANQUILO, “É AMIGO”, NÃO ABANDONA O BARCO.


Lígia Marques
21-05-2010