domingo, 16 de fevereiro de 2014

FALSA LIBERDADE... ((Lígia Marques))



A casa desarrumada, as tantas coisas espalhadas pelo chão...
Uma parede sem retratos, a poeira entranhada,
A visita dos netos e filhos, derradeira doce ilusão.

 
O preço da liberdade fortalece a rocha da alquimia
Solteiro, hora casado, um sonho de inverdades
Questionar não pode, fortalece então as saídas.

 
O teto se desfaz,  o fim de semana,  mulher virtual e bebidas...
A prática do proibido, sensação de poder  que satisfaz
Quem diria, homem bom,  esconde a Vida!

 
La no coração a entrada de um que te esmera e lança..
Espreita “aves, Tantas e lobos ”.... Cuidado com a estrada!
Quem ronda espera, quem espera sempre alcança.

 
Hoje existe falsa alegria das muitas oportunidades
Amanhã a solidão apavora  com maestria
Não se engane quanto a liberdade estamos em dunas da igualdade

 Lígia Marques
07- 12- 2013