domingo, 6 de abril de 2014

EXPRESSÃO ((Lígia Marques))



De vontade desejei um abraço. Esqueci.
Quis o tempo voltar, mas não vivi
Entre qualidades e desejos, um dia adormeci...
O rumo contou minha história...
Ponto sem nó. Acho que existi.

Prometi não mais chorar ou falar de tristeza
Quem disse que obedeci?
Tenho um amor controlado!
Muito engraçado, sobre “um telhado!
Mito de amor e fim!

Escrever em linhas brochas
é um dom que me faz gentil...
Subir na goiabeira morta
galhos secos a mostra
infância que não esqueci.

Sou menina, mãe mulher, quase avó
Quem dera, “a aprendiz”
Vou vivendo a vida no prefácio
na alquimia dos meus passos
o meu nome é “Flor de Liz”.

24-02-2014